sábado, 4 de abril de 2015

AMOR COMEDIDO

Esfera gira no céu
Lua minguando amor
Satélite em torno do nosso mundo
Estrela brilha no olhar

Sentimento

Cometa

Apenas um delito 
Ou o que quer que seja

Esfera

Lua
Satélite
Planeta
Estrela

Sol
Universo
Galáxia
Te amo mais
Que tudo




Joy Mafaro
Dos antigos. Com colaboração de Maria Cecília Mansur.

quarta-feira, 25 de março de 2015

HÁ UMA SECA

Rio de águas doces
Desce sua nascente
Não acorrente
Não há corrente?

Deixa eu mergulhar em ti
Alegremente
Não acorrente
Não há corrente?

Me faz livre
Liberte a minha mente
Não acorrente
Não há corrente?

Me leva ao mar de amar
Me faz presente
Não acorrente
Não há corrente?

Onde foi parar o rio
Cadê ele minha gente?
Não acorrente
Não há corrente?

O prenderam em algum lugar?
Acabou-se de repente?
Não acorrente
Não há corrente?

Ouvi alguém dizer:
-Aterraram!
-Ampliaram!
-Enfeitaram!

Agora vão uma rua fazer
Cheia de lojas
Vitrines
Mostruários
Monstros diários
Cheia do que não queremos ver

Com a água que lá estava
Fizeram lavagem cerebral
E agora todo mundo alienado
Todo mundo pensando igual

Fujo dessas ruas 
Onde não quero passar
Frequentemente
Frequentam minha mente

Como um relógio que hipnotiza
O mesmo ritmo
A mesma batida
A mesma medida

Tá tudo normal, né!?
Mas eu não digeri
O povo superficial
Jamais mergulha em si

Rio de águas límpidas
Onde posso mergulhar
É minha mente
E ela mente?

Vou bem fundo
Ainda consigo respirar
Suavemente
Breve
Mente



Joy Mafaro
Grata por toda colaboração de: Adriana Januário, Clara Cecília, Fram Alves e Juliana Macedo

domingo, 22 de março de 2015

FONTE DA VIDA

Tá faltando água
Mas tá faltando muito mais alma

É raso
Supérfluo
Ninguém quer ir mais fundo

Cada um na sua
Cada um por si
E assim está o mundo

Tenho preguiça de acordar
Navegar na rede
Me canso em caminhar
Tenho sede

Porque tá faltando água
Mas tá faltando muito mais alma
Nessa gente



Joy Mafaro

quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

DISLEXIA


Dilesxia
Dixlesia

Ledisxia
Dislequicia
Diz lê que cia
Mas de trocar
Não esquecia



Joy Mafaro

terça-feira, 13 de janeiro de 2015

O SEXTO ELEMENTO

Às vezes
Me falta ar
Para respirar

Não falo desse ar de científica composição
Que precisamos para o corpo viver, não!

Falo de ares distintos
Deveras suspiros
Como um rapaz falou
Da vida sua extinção

Às vezes falta um ar
De sensatez
Ou de loucura
Falta ternura
Falta fé
Falta paz

Às vezes me falta o ar
E não sei o que mais

A solidão vem sufocar
O estresse atormentar
A correria abater

Mas aí fecho os olhos
Sinto a brisa se achegar
Tudo aquilo
Que eu precisar
Vem me trazer

Ela me põe
De volta à vida
Quando inspiro
O que eu preciso
Para viver

A vida só faz sentido
Se a gente respira
E inspira
Amor
Sem querer



Joy Mafaro

quinta-feira, 18 de setembro de 2014

HOJE

Estou numa correria tão grande
Que nem a solidão me pega

Que mesmo na canseira
Insisto
Vou em frente

Eu alcanço o amor
E o amor me alcança

Hoje,
Só o amor me acompanha



Joy Mafaro

segunda-feira, 21 de julho de 2014

SONHANDO ACORDADA


O que te motiva?
O que te faz ter vontade de viver?
O que te dá vida?
Brilho?
Paz?

O que te sacia?
O que te alucina sem entorpecer?
O que te faz ser?

Para mim, todas essas perguntas se resumem a uma resposta:
ARTE

É o que me arrepia
Me faz vibrar
O que enche meu peito de alegria
O que me traz momentos bons
De nostalgia
O que me faz aproveitar agora
Esse exato momento do dia

Viver o sonho acordada
No mundo real
Sem fantasia



Joy Mafaro

sexta-feira, 25 de abril de 2014

QUEM TE FEZ TAPADA?


A sinceridade é inesperada
As pessoas não estão acostumadas
Não é confortável
Preferem ser enganadas
E depois reclamam
Coitadas!
Não sabem de nada



Joy Mafaro

terça-feira, 18 de março de 2014

FLOR DE NARCISO


Me acolheu num amplexo
Me vi fundo reflexo
Imerso no teu olhar

Onde fiz minha morada
Sentia paz e mais nada
Dentro de ti aconchegar

Num momento de carinho
No teu corpo meu ninho
Onde resolvi morar

De amor senti fome
E foi em seu nome
Que eu quis gritar

Seu perfume exalava
O cheiro se espalhava
Livre solto no ar

Nesse instante sabia
Que daquela alegria
Não podia escapar

Escancarei aos quatro ventos
As janelas dos pensamentos
Só para lhe sussurrar

Que amo a todo momento
Por fora
Do avesso
E por dentro


Meu amor

Sem pudor
Vou te amar



Joy Mafaro

domingo, 9 de fevereiro de 2014

DIAS DE VERÃO

Estava olhando pela janela da imaginação e pensando...

Engraçado como é o dia de verão: 
Acorda bem cedinho, todo feliz e reluzente, no meio do dia está bem caliente e teima em dormir tarde, acho que para aproveitar mais o tempo. Mas vira e mexe dá umas duas, três horinhas nele e se fecha todo, fica murmurando, agitado, até desabar num choro sem sal. Depois fica mais sereno, agradável e volta ao seu jeito habitual. 
Ai ai, adoro janelas e portas por onde posso estar lá fora sem precisar sair, ir além, fora das ideias convencionais, dentro de mim, fora de mim.
Já volto, vou logo ali!



Joy Mafaro

quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

APRENDIZ DO DESAPEGO

Me aborreci com algumas "pessoas", depois percebi que meu aborrecimento era com minha própria forma de pensar e enxergar o que tinham feito.
Espero do fundo do coração que todos que entram e permanecem em minha vida sejam felizes e que quem escolheu ou escolher sair ou que eu escolhi não conviver por motivos de incompatibilidade, sejam muito felizes também. 
Às vezes para manter ou recuperar a saúde mental, a serenidade e o amor próprio, algumas coisas tem de mudar, sair, para dar espaço a algo novo.
Aí me alegrei, pois lembrei que as pessoas são livres para irem e virem, incluso eu. Nesse mundo tão grande, onde apesar de redondo, tem tanto canto para conhecer ainda e melhor de tudo, sei que posso voltar.
Controlar os próprios pensamentos, analisá-los, repensá-los, manter a tranquilidade, o respeito pelas decisões alheias e por nossas próprias, é usufruir da inteligência da melhor forma, afinal, ela está aqui para ser usada. 

Eta vida!
Gratidão por mais um aprendizado.



Joy Mafaro

sábado, 21 de dezembro de 2013

CABEÇA FILOSÓFICA

Estava pensando...
Seria o consciente, dono do pensamento?
O inconsciente pensa?
E o subconsciente?
Quando a gente fala sem pensar, é quando somos o que realmente somos?
O consciente seria uma barreira da realidade?
O subconsciente tem consciência que é sub?
Se ele é sub, os outros estão acima?
Pensamentos podem ser palavras guardadas, muitas vezes presas dentro da gente e que são soltas (expressadas) sempre que o dono deles (pensamentos) permite.
Palavras nomeiam quase tudo e podem nos levar a quase todos os lugares que significam, dependendo da interpretação.
A interpretação é a forma de transformar a palavra recebida em pensamento novamente. ela passa por uma espécie de filtragem, creio que o que entra ali, nunca sai da mesma forma que entra, ou seja, o pensamento inicial sempre se modifica.
Seria possível eu pensar de uma forma e outra pessoa reproduzir em si o mesmo pensamento?Idêntico?Sem nenhuma alteração?
Todo pensamento que filtramos é absorvido?

...

Pensamentos soltos na mente causam tumulto.
Calem-se todos!
Mas ninguém os ouviu a não seeerrr (pensando, olhando pra cima, com o dedo indicador no queixo)...
Eu hein, ou estou ficando doida ou ficando sã!

...

Pensamentos podem ser um bate-papo interno, entre lados opostos normalmente. Escuto o são e o insano, dialogando e creio que estão chegando a um consenso, talvez possam criar uma filosofia de equilíbrio.
Seria possível equilibrar todos os opostos?
Talvez a palavra certa seja harmonizar. Seria possível?
Sinto-me deus analisando minhas criaturas.



Joy Mafaro

quinta-feira, 19 de dezembro de 2013

VISTO À FELICIDADE


Queimo tristezas passadas
Para novas virem







Enquanto isso
Lustro meu melhor sorriso

E se chorar foi preciso
Lavada a alma está

Agora livre para voar
No paraíso do meu riso



Joy Mafaro

Foto: Ben Heine

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

A ÚLTIMA SAÍDA


E agora o que fazer?
Se a vida é difícil
Subir num edifício
Sair pela emergência
Sem usar a escada
Não vai resolver nada.



Joy Mafaro

segunda-feira, 7 de outubro de 2013

SAUDADES PARA VIAGEM


Saudades ficaram no interior
Saudades vão no interior da gente
Saudades para viagem
Viajam dentro do peito

Num coração de sertão
Cai tempestade
Caminham no interior
Da saudade
Dá saudade




Joy Mafaro

In memoriam de Seu Zéquinha (meu saudoso e amado avô)

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

SENSAÇÃO...

Ainda não sei quem é. Apenas sinto: há um lugar para você em mim.



Joy Mafaro

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

INS-PIRA...AÇÃO!

Nossas almas delicadas
Caminhavam com os signos

Você sorriu

Eu sorri

Nossos olhares se tocaram
E uma eclipse se fez

Pensei:
"Como me deixo levar fácil por dentes à mostra", porém me contive.

Mas quando os seus olhos me sorriram. Aí, foi golpe baixo!

Ééé, tem lá seu charme, o frio vestido de paixão ardente...

Linda noite, não!?



Joy Mafaro

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

CANTADA DE PEDREIRA

Depois que a morte se esfrega
Quase que pornograficamente na sua cara
Mas você reluta e nega
Quando percebe que sua relação com a vida é uma delícia
E além do que, ela é muito da gostosa!


Joy Mafaro

sexta-feira, 16 de agosto de 2013

ALÉM DA ZONA DE CONFORTO

Cabeça a mil
Coração disparado
Confusão viajava
Dentro de mim

Eu mergulhava em mim
E assim muita água caia fora
Da piscina de meus olhos

Você mergulhado em mim
Nas lembranças que vinham
Mas era como um deserto
Uma ilusão de ótica

E cair em si doía
Doía muito mais 

Que imaginei um dia

Ficar ali tentando entender
O que não tinha de ser entendido
E não dava mais para ficar
Ou seguia, ou seguia

Saí do lugar que construí
Saí de mim
Olhei de fora
Me percebi

Notei toda a beleza do meu lugar
Que era eu
Entendi por onde deveria andar
O que jogar fora

Entrei
Reinei

Destruí
Desabei
Reergui
Reconstruí



Joy Mafaro

quarta-feira, 3 de julho de 2013

AMAR, DO VERBO EMPERRAR

Parece que a hora não passa
Parece que nada é de graça
Incluso
Pensar em você


Já não sei se o que sinto é saudade
Ou só um desejo que invade 
Vontade
Bem querer


Lembranças que cercam a mente
Me prendem aqui de repente
Difícil tentar
Desprender


O que vem me custando o sono
Pois sinto
Está ao entorno
É como querer
Reviver


As noites em claro
Que passo

Caminho em busca
Do encalço

Tentando achar 
O esquecer

E mesmo assim
Num lampejo

Parece que sinto
Que vejo

A porta do tempo
Prender




Joy Mafaro

quarta-feira, 22 de maio de 2013

CHORO BANDIDO - CHICO BUARQUE



Pós pensamentos gritantes em minha mente e uso de pausa e respiração para amança-los. Expressei-os através de palavras,
maldosamente bem colocadas.
Dúvida que atormentava, suplicando por resposta inversa ao que já sabia, pois era muda, vazia.
"O silêncio também é uma resposta". - o bom ouvinte me dizia.



Joy Mafaro

quarta-feira, 8 de maio de 2013

PG. 9557, DO LIVRO "APENAS UMA HISTÓRIA"

Quantas folhas em branco
Deixei para trás?

Quantas folhas em branco
Deixei aqui?

Quantas folhas em branco
Estão por vir?


E minha história
Que não foi escrita
Em lugar algum

Passei páginas
Sem escrever nada
Não tive tempo
De viver fora
Pois vivia
Em"mim"mesmada


E eu que queria mudar o mundo
Nem do meu mundo
Soube mudar

Nem minha própria história 
Pude escrever

Mas a mudança
Persiste e
m viver

Ela sussurra:
Basta querer

Farei minha história
Para ao final ler

Passar nos olhos
Feliz em ver



Joy Mafaro

sexta-feira, 3 de maio de 2013

O CORPO FALA

No silêncio
Da sala de espera


Os estralos dos dedos
E os solados dos calçados
Batendo no chão


Inquietos
Falam alto

Comunica-se a ansiedade
Sem sequer pronunciar 
Uma palavra



Joy Mafaro

terça-feira, 30 de abril de 2013

ROTINA

A gota que escorre pela janela
O chuvisco batendo nela

Em atrito
O trilho e o trem
Fazem uma batida musical

Estou sentada ao contrário
Indo para trás
Rebobinando para meu lar

As gotas dançam
Ao tocarem o chão
Poças d'água
Movimentam na parada

Uma pessoa desconhecida
Senta ao meu lado
Uma estranha irmã
Somos filhas da mesma Mãe
Terra

A gota que molha
A face da moça
É de chuva
E ela sorri

(Som do trem oscila: aumenta e diminui)

O amor caminha dentro de mim
Já não corre
Vai sereno

Como gota de orvalho
Eu chorei por dentro



Joy Mafaro

quarta-feira, 24 de abril de 2013

E ASSIM SE DESFEZ O "AMOR"

Os vícios
As vicissitudes
O tempo
As mudanças
As mundanices
As virtudes


O tempo
As mudanças
Depois
Às atitudes

Os sentimentos
Relevados
Assumidos
Revelados

Os corações partidos
Partem
Um
Para cada lado


Cada um
Por seu caminho

Não mais atrelado



Joy Mafaro

sexta-feira, 19 de abril de 2013

AMOR INSPIRADOR

Quero inspiração para escrever
Músicas de amor
Poesias de amor

Cartas de amor

Mas que já não inspire a dor
O coração partido
O cotovelo doído

Não quero mais o tipo de amor
Daquele inspira"dor"




Joy Mafaro

terça-feira, 16 de abril de 2013

VOO LIVRE

O vi no chão
Abriu a boca
Sem proferir
Sequer uma palavra


Como se fosse
O último suspiro
E era

Caíra de sua janela
Pós tontura 
Falta de força
Ou não sei que

O peguei em minhas mãos
Sentia seu corpo ainda quente
E dizia em pensamento:
Por favor, não vá embora, viva!

O levaria até a casa onde estava
Mas no caminho
Como sinal de partida
Suas pálpebras perdiam as forças 
E ali de minhas mãos
Partia

Pela primeira vez voou
Sem bater asas

O mundo deixava
Como nunca antes
O céu alcançava
O lindo pássaro azul



Joy Mafaro

segunda-feira, 15 de abril de 2013

SÓ DE PASSAGEM


Eu poderia te pagar
Todas as dívidas

Se me permitisse 
Fazê-lo feliz
De alguma forma


Porém você prefere
Ficar s
ozinho
Trancado

Com seu orgulho
Suas mágoas
Seus vícios

Enquanto o amor
Passa
Pela janela
E você finge
Que não vê


Tchau!!! - você gritou
E o amor apenas sussurrou:
Adeus.




Joy Mafaro

COMEMORANDO LEMBRANÇAS


Tudo começou naquele olhar
Que me tirou o ar
Que me tirou a fala
Que me paralisou o corpo

Sem ação
Sem reação
Sem sim
Nem não
E qualquer que fosse o assunto falado
Naquele momento
Era vão

Me prendi
Fixei
Me soltei
Me perdi
Dentro daquele olhar

Que brilhava
Com a luz mais reluzente
Que vi nos últimos tempos
Então não fazia mais sentido estar ali
Vamos embora? - um de nós disse
Eu estava de carona com ele
Um dos dois respondeu: vamos!

Houve um abraço antes ou depois
Não me recordo a ordem
Uma tentativa de beijo
Me intimidei
Virei

Mudado o cenário
Na Avenida Paulista
Num farol vermelho
Acontecera o primeiro beijo
Talvez o segundo 
E outros nos faróis adiante

A partir daí
Faróis e beijos
Fizeram parte do cotidiano
E a parada para dizer
O primeiro "eu te amo"

Acho que faróis vermelhos
Bocas vermelhas
Lábios macios
Um quê de molhado
Olhos apaixonados 
Combinam tão bem

O fluxo
De idas
Vindas
Pedágios
Ônibus
Trens
Começou a ser maior
De lá pra cá
Daqui pra lá

Eis que algo me abateu
Mas o pequeno grande príncipe
Esteve ali
Ao meu lado
Todo o tempo

Me protegeu
Me deu a mão
Me reergueu
Me acolheu
De coração

Me deu f
orça
Deu carinho
Palavra
Ouvido
Colo
Me deu ninho



Amou
Abraçou
Beijou
Suportou

E depois da esperança
Me deixou

Saudosa l
embrança


Joy Mafaro

segunda-feira, 8 de abril de 2013

A QUE PONTO CHEGAMOS?


Escrevi pela metade e o medo me prendeu distante
O medo de acabar com a ilusão
Que se finda

Que sinto 
E que dói

Talvez seja isso junto a mais alguns destroços
Que fez o desmoronar da montanha abaixo

E o que fiz?
Nada!

Como haver uma reação sem ação?
Fiquei parada, intacta, com medo
Medo maior de me ferir, sem hipocrisias
Porém medo de fazer a coisa errada

Tenho tantos conceitos e princípios dentro de mim
E eles me levam por vertentes que afunilam para um ponto escuro

Cheguei
Aqui estou

Preciso de luz
Me traga luz, por favor!

O que fazer?
Voltar?

Mas se já cheguei tão longe...

Vinda do fundo uma voz ecoou:
Aqui não existe ponto final!





Joy Mafaro

domingo, 7 de abril de 2013

RESPOSTAS SEM PALAVRAS

A gente se perde ou as pessoas se perdem da gente?

O que se perde está presente?

Quem sou eu?

O que estou fazendo aqui dentro desse corpo?

O que vim fazer?

Sem amor não se vai a lugar algum?

O que fazer quando não há amor ao seu redor?

O que fazer quando não há amor dentro de si?

“Viver é aprender a morrer”?

Viver é aprender a matar?

Matar a dor ou matar o amor?

Fui eu assassina de mim mesma, deixando o corpo vivo para me torturar?

Tortura não ter amor, tortura não saber amar.

Mas a vida está aí me dando à chance de aprender.

Que mesmo que doa, hei de vencer!



Joy Mafaro

segunda-feira, 25 de março de 2013

QUEM BATE?

Bate o sol
Bate à Janela

Bate e volta
Bate a onda
Bate a brisa

Bate bola
Bate papo
Bate uma felicidade

Bate coração
Bate saudade

Bate o pé
Bate ansiedade

Bate a porta
Bate-estacas
Bate o carro
Bate a cara

Bate boca
Bate com violência
Bate o desespero
Bate o arrependimento

Bate a solidão
Bate à porta
Bate palma

Bate o vento
Bate o frio
Batem os dentes

Bate a tristeza
Bate o cansaço

Bate o sino

Abro as janelas
Passa a boiada



Joy Mafaro

sábado, 15 de dezembro de 2012

CONTRATO INFORMAL


Eu não quis acreditar no amor
Tive medo de sentir ou causar dor
Tenho medo de fazer algo errado
Tive medo de estar errada
Ouvi algumas palavras que podiam dizer tudo
Mas que diziam: nada
Senti pulsares que pareciam físicos
Me toquei que borboletas não viveriam em um local fechado
Tive receio do coração disparar e pensei em me distanciar
Já era tarde!
Fico nervosa ao te ver
Palavras faltam para dizer
Por isso escrevo
Não tenho como ter certezas
Ou fazer promessas
Escritas essas, seriam contrato?




Joy Mafaro

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

SAMBA DA QUEBRADA


Hoje eu vou cair no mundo
Cair no mundo cheio de poesia
Onde também haja melancolia
Mas em formato de alegria

Todo dia
Todo dia

Cair no mundo
Cair no mundo repleto de energia
E lá no fundo
Bem lá no fundo
Irradie noite e dia

Brilha o sonho
A fantasia

Caí no mundo
Caí dormindo
Num sono profundo

Mas da queda despertei
E percebi que nada sonhei
Pela primeira vez não foi nada mal
Cair na real



Joy Mafaro

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

HISTORINHA...REAL


Certo dia fui caminhando com meu pai, à casa de minha avó, perto do horário de almoço.
O tempo estava bem quente, mas estava chuviscando umas gotículas bem miúdas, sabe!
E disse a ele: Nossa, nunca imaginei que ia gostar tanto de um chuvisco na cara assim, em minha vida!

Ele me olhou, e sorriu.

Tantas vezes a gente chama o nosso dia de: mau dia, dia feio. Mas na verdade todo o tempo é necessário, seja no sentido de clima, seja no sentido de medida da vida. Cada momento é precioso.

Como você anda usando, vivendo, gastando os seus tempos?
Essa é a questão que faremos hoje! Lembrando que todo dia será "hoje", pois o ontem já passou e o amanhã será fruto de hoje.
Então use-o e desfrute-o com carinho. Pense nisso!


Vale a pena ver o vídeo abaixo! Assista-o, tenho certeza que não será tempo perdido.







Joy Mafaro



segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

ECLIPSE DE SENTIMENTOS


O sol raiava 
Em mim um dia
Em que você
Não estaria

A nuvem vinha
A mesma ia
Só você
Que não viria

Acinzentava
Chuva caia
Pelo meu corpo
Escorria

Sentindo falta
De suas mãos quentes
Que mesmo ausentes
O percorria

E o céu roxo
Me dizia
Que você
Não voltaria

Naquela noite
Deitaria
E o seu cheiro
Sentiria

Sentia magoa
A alma fria
Que ninguém 
Esquentaria

Do holocausto
A histeria
Solitária
Sentiria

E mais um dia
Dentro do dia
Que jamais
Acabaria



Joy Mafaro

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

DIGA NÃO A CEGUEIRA DO MUNDO!


Tem sido confundido muito o ter com o ser, hoje em dia.
Cadê a essência das pessoas?
Estão sendo colocadas em frascos de marcas caras?
Em suma: somos fruto de amor.
Deveríamos ser um pouco de amor ao menos e ter ciência que amar nunca será palpável, é algo muuuuito além, incluso, do que os olhos podem ver.
Diga não a cegueira que a sociedade te (im)põe!
Viva o que é e nunca perca sua essência!




Joy Mafaro

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

O DIREITO DE IR E VIR


Escrevo, escrevo
Viajo, viajo
E não saio do lugar

Às vezes acho ridículo ter a sensação
De nem saber que sensação é

As coisas estão ao contrário:
A folha está de pé
A caneta está deitada
Mas não é que ainda assim sai tinta!
Olhando admirada disse em pensamento

Caneta e papel
Quase pré-histórico
Mas me traz tanto prazer

Posso ir aonde quero
De dentro para fora
De fora para dentro
Ou pelo avesso
Posso ser o que quero
E viver um pouco o que penso

E o direito de ir e vir
Que na realidade não existe
Eu faço escrevendo



Joy Mafaro

quinta-feira, 31 de maio de 2012

A NOVA SUPER HEROÍNA


Mesmo com lágrimas nos olhos
Aperto no coração
Meu nome é superação!

Com fé eu reergo
Levanto do chão
Meu nome é superação!

Já passei por piores
Não vou desfalecer não
Meu nome é superação!

Na disritmia do tempo
No embalo dessa canção
Meu nome é superação!

Quando louca estiver
Entregue a solidão
Meu nome é superação!

Já me refiz muitas vezes
Do sonho plantei o grão
Meu nome é superação!

Germinando a semente
Comer do verdadeiro pão
Meu nome é superação!

E plantando e colhendo
Refazer a lição
Meu nome é superação!



Joy Mafaro

CAMINHO PRO MAR


Estou caminhando aqui
E sentindo um fresco ar

Dentro de mim a vagar

Já me sinto um pouco melhor
Já consigo raciocinar

Sigo em rumo
Dentro sumo
Meu profundo despertar

Estive na superfície
Que é como revolto mar

Agora mergulho

Para na paz

Tentar

Me achar



Joy Mafaro

segunda-feira, 14 de maio de 2012

BORBOLETAS AO MOLHO VULGO


O beijo é como alimento:
Quando vai à boca do faminto
O mantém calado

Se a comida é boa
Saboreia por muito mais tempo
Mesmo depois do prato terminado

Querendo repetir
Sempre que possível
Por ser algo leve nunca o deixa empanzinado

Pois depois desse processo
Quando cai no estômago
Borboletas é o resultado



Joy Mafaro - 14/05/2012

sábado, 11 de fevereiro de 2012

O BEIJO QUE SE PERDEU


A música ecoou
Como um som de ninar
De amor 
De amar

Num pedido concedido
Você veio
Cantou em meu ouvido
Sem receio

Pediu um beijo de boa noite
À recompensa do que dera
Mas não pagaria
Que essas coisas não têm preço 
Sequer regalia

Deitei-o em meu colo 
Falei que não o daria
Com singelo cafuné
Comecei a cantoria

Assim
Quando dormiu
Não soube
Aproveitei o ensejo
E dera também
Aquele beijo



Joy Mafaro

CENA 1: SENTINDO O AMOR

Um beijo 
Imenso
Grande
Enorme
Intenso


Cheio de carinho
De amor
De bons sentimentos


Com vontade
Com força até
Eu diria


Interminável
Por um segundo
Que passava mais rápido
Que um milésimo do mesmo


E ele se foi
Cantarolando 
E andando de costas
Admirando sua amada


Observando-a 
Em meio a chuva
Com seus cabelos escuros
Rosto
Pele 
E vestido brancos
E molhados

Encontrava-se

Naquele fixo olhar
Perdido em sua direção


Ela, 
Se sentia estarrecida
Parada
Estática
Muda
Tonta


Acariciada 
Por cada gota 
Que a percorria


Admirando seu amado
Partindo 
Porém 
Deixara o gosto
De sua alma 
Junto dela


Mas sabia 
Faça chuva 
Faça sol
No dia seguinte viria 


E tudo 
E muito mais 
Lhe daria


Lhe daria
Muito mais
E tudo





Joy Mafaro

POR BAIXO DO GELO

Eu poderia ter me apaixonado por você
Eu poderia ter esperado por você
Eu poderia ter ido adiante por você
Eu poderia tanta coisa por você
Isso é o que eu diria
Quando a verdade foi que:
Eu me apaixonei por você
Eu esperei por você
Eu fui adiante por você
Mas não, nada tentei

Estagnei
Fiquei
Prostrei

Noto que ainda não aprendi não me paralisar diante de uma dificuldade
Noto que o amor é uma das maiores em probabilidade
E que paralisar por menos que ele é fatalidade

Tenho receio de um dia conseguir amar de novo 
E me tornar uma estátua de gelo que derreteu
Pois não soube dar o amor que incendiara
O mesmo interior que era seu



Joy Mafaro

domingo, 27 de novembro de 2011

FRASE



Se você se tornar bom na maior dificuldade. Quando ela for menor, você será muito melhor.



Joy Mafaro

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

VIM DO MEIO DO CAMINHO...

E na volta, seguindo um amigo, 
Quase fui em direção à Luz,
Mas fazíamos o caminho errado,
Não era hora de ir para aquele lado.



Avisei-o,
Demos meia volta,
Agora indo pelo caminho certo:
O que nos leva para o lar correto.



Cada um por uma direção.
Porém, sempre no mesmo sentido.
E fomos juntos ainda que separados,
Pois que residimos, moramos, vivemos,
Uns dentro dos outros, alados.



Aos meus queridos meninos,
Tenham quantos anos tiverem.
Não os chamo de meninos
Pelo sexo que nos difere,

Creio que não há vistas para isso, 
Como assim todos querem. 


Vejo-os todos meninos pois: 
Possuem a sutileza do sentir de uma criança.
Meninos, onde cada um, de alguma forma e a sua maneira, Impulsiona o pulso de amor na memória, na lembrança.


Viva a liberdade de ser o que se é 
E de sentir o que se sente sem pudores!
Viva a energia que une pessoas 
De mesma sintonia e ardores!


Viva o amor puro 
Que interliga pessoas do bem!
Com as quais 
Bem me sinto grande alguém
E  sem as quais 
Não seria, quem




Joy Mafaro

sexta-feira, 18 de novembro de 2011

ANDARILHO

Já estou indo
Para onde?
Não sei

Passo a passo
Sigo em direção
Ao meu lugar
Que está
A me esperar

Meu lugar é onde vou
Qualquer lugar é meu

Pois estou exatamente
Onde devia estar

Dentro de mim



Joy Mafaro

REFLEXÃO

Se podemos remoer e reviver as coisas ruins. Por que não fazer isso também com as coisas boas, as coisas engraçadas, alegres e felizes, hein?

Quem sabe até aprendamos a fazer o mesmo que fazemos com essas sensações ruins. Só que, ao contrário.



Joy Mafaro

terça-feira, 11 de outubro de 2011

REFLUXO

Urso bipolar
Que adormece cá dentro
Há vezes de hibernar,
Há vezes de ter sono leve

Tem dias de mansidão
E dias de querer devorar o mundo
A começar por mim

Como cá dentro está,
Inicia pelo coração

Mas esse,
Para na garganta
E sempre volta

Sempre volta
Machucado



Joy Mafaro

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

AO DIA DO CEGO

Estava eu aqui a pensar com meus botões, do sofá, que, já que nos calendários do mundo existem dias para tudo quanto é coisa, resolvi eu fazer datas "comemorativas" no meu calendário.
Então hoje, é o dia do cego!
Seja ele como for: 100, 50, 10 ou 1 por cento cego. De nascença, pós trauma, problemas nas retinas ou na falta dos mesmos. Seja de 1, 2, 3 ou dos 4 olhos. Direito, esquerdo, o terceiro que normalmente fica um pouco acima dos dois primeiros, no meio da testa ou o quarto que algumas pessoas, MAL-DOSA-MENTE informadas, confundem com o terceiro.

Enfim, já que a maior parte dos dias são para comemorações. É bom lembrar que, todos estamos aptos a ficarmos cegos. Portanto, pense em um gesto amável e grandioso como ter uma voz gentil, oferecendo um braço amigo para atravessar a rua, ajudar a descer a escada ou chegar até um local próximo. Não te faria bem?
Então, que tal comemorar esse dia assim, pensando que seria bom ganhar um mimo?

Faça da seguinte forma: Se por acaso você conseguir ver um cego por perto, EM-PRESTE seus olhos a ele.
Seja solidário, doe seus olhos ainda vivo!

Para os que estão cegos de outros olhos, o da alma por exemplo, se você puder enxergar  além, compartilhe sua visão.
Alguém cego de amor?
Alerte-o, se a pessoa que o cegou estiver olhando muito para dentro ou muito ao redor, pode ser que não dê muito certo.
E que há uma contradição, cegos do coração sempre veem muito além, mas esse além não é para onde provavelmente deve e vai chegar algum dia.

Não esqueça, um dia pode ser você.
E para cegos de outros olhos, consulte um médico. Ao persistirem os sintomas, procure a si mesmo. Às vezes, cegamos de nós mesmos.



Joy Mafaro

sábado, 17 de setembro de 2011

HEROÍNA DA PÁTRIA

Heroína de mim, só eu posso salvar a mim mesma.

Heroína de nada, contra seres invisíveis que moram aqui dentro.

Heroína que acabou com tantos que já se foram, que refugiou traidores e dispensou os melhores guerreiros. Porém, teve coragem de voltar atrás, reconhecer o erro e recorrer a alguns deles.

Heroína de reerguidas, de estar a postos, todavia de também chorar e pensar em desistir.

Já me dei por vencida e estou aqui. Ou seja, algo venci.

Que seja o tempo, não creio que só ele...algo venci.

Venci o que era e pretendo vencer o que sou.

Portanto, a luta nunca finda.

Portanto, os verdadeiros heróis tem de aceitar perder algo.

Perderem partes de si mesmos, perderem-se em si mesmos.

Arriscar, perder, mutilar. Para dar espaço a novas vitórias ou derrotas, a algo novo.

Sabendo que a luta nunca será a mesma.

Sabendo que a grande vitória, é cada vez, mais próxima.



Joy Mafaro

terça-feira, 13 de setembro de 2011

VISÍVEL AOS OLHOS

Eu poderia morrer
Pós sentir grandioso amor
Ao ver o presente
Que a natureza trouxera:
O por do sol mais lindo
De toda uma vida

Sem piscar
O admirava
E se ele queimasse
Minhas retinas
Naquele instante
Me tornaria
O cego mais feliz

Fez-se um brilho no olhar
Correspondendo aquele amor
Pois cá dentro de mim
Um novo sol nascia



Joy Mafaro (Agosto de 2011)

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

MULHERES DA VIDA...DE QUEM?

Dondócas queridas
Donzelas perdidas
Seguindo feridas
Na lida da vida

Vadias necessárias
Bonecas solitárias
Guerreiras precárias
Fazendo as diárias

Ali na Augusta
Ou no "Bahamas"
Gente faminta
Querem comer

O prato do dia
Com ou sem entrada
O dedo enfia
Sobremesa errada

Algumas precisam
Outras gostam
Outras os dois
Outras talvez

Mas sempre deparam
Com grandes canalhas
E pequenas migalhas
Ao fim do mês
 
 
 
Joy Mafaro com colaboração de "Dani Love"

domingo, 28 de agosto de 2011

POR OUTRO PRISMA

Flor era eu
Esperando o gineceu

Pétala por pétala
Desfolhei
Espinho por espinho
Perfurei

Anjo era eu
Esperando o apogeu

Pena por pena
Sentirei
Alto e mais alto
Voarei

Fui a dor
E o pesar

Fui a alma 
A desvendar

Fui a ilusão 
A transformar

Nesse sonho

A brilhar

A brilhar

A brilhar




Joy Mafaro

sábado, 27 de agosto de 2011

DIA DE HEINEKEN, DIA DO AMIGO

Em um bar nas redondezas da Paulista, reencontro de amigas, no dia do amigo, onde um bate-papo por escrito acaba ocorrendo em meio a filosofia que nos cerca a cabeça e a bebedeira que nos leva um pouco o juízo.

Observando lá do alto, o movimento das pessoas, de seus corpos em relação aos outros...Pensei e coloquei no papel:


Por que será que o corpo fala?


O diálogo segue divido em Itálico frases de Tacila e comum e branco minhas frases.
Taci, começa o papo por escrito, entitulando-o de:

Malditas

A energia que emana das vidas que se cruzam, sem querer, por querer, por merecer...
O quanto somos merecedores?


Somos merecedores do que cativamos, do que pensamos, do que somos.
Atraímos o que fazemos?


Nem sempre minha cara, atraímos o que aparentamos querer; alguém ou alguns podem um dia perceber que o que parece ser não diz muito a verdade...mente...tudo que merecemos, queremos ou necessitamos, vai além do que o mundo pode ver.
Você precisa de quê?


 
Lembrei de uma música: “Você tem sede de quê? Você tem fome de quê? (hehe)
Eu preciso do que não sei, preciso de você.
Preciso do ganhar e do perder. No entanto se nada temos o que perdemos?


A viagem; sempre teremos a viagem. Para onde vamos, de onde venho...tanto faz. Teremos de aproveitar a incerteza, o acaso.
Me conta uma coisa: Qual a sua viagem?


A de agora?


Yes!


Yes, we can? (hehe)
Estou longe e aqui ao mesmo tempo. Creio que essa é a viagem que me leva mais distante.
Penso, logo existo? Penso logo desisto, já ouvi.
Penso, logo insisto. Insisto em pensar e pensar. E para que pensar, não é melhor agir?


Pensamentos são livres ações...Infelizmente a sociedade nos poda, nos boicota... Ou vivemos alienados à ela ou nos encaixamos da pior maneira possível: contra nossa própria vontade...
Não perder a viagem significa revolucionar.
Agora me diz, por exemplo, Che Guevara fez a diferença?Morreu em vão ou valeu a pena?Ele perdeu a viagem?


Não!Ele vive!!!


Não só nos livros de história, como em algumas camisas estampadas.
Você faria uma revolução ou prefere ficar na mania de limpeza?

Pergunta feita, ao observar Taci limpando com alguns guardanapos, insistentemente as gotas de suor de seu copo de cerveja.


Limpeza?

Após explicação, vieram os risos e voltamos a escrever mais...


Bom uma hecatombe natural seria uma faxina formidável...Saca controle de população?
Bem talvez o ser humano seja o câncer do mundo...Mas o que é “ser” humano?


Isso já não posso lhe dizer. Não sei se já lhe contei que sou um E.T.. Pois é, assim sendo permanece a dúvida.
Teriam os chineses algo a ver com isso?


Ahhh, teoria da conspiração...Bem, a China anda um tanto poderosa...os tigres asiáticos...invadiram nossa praia: SP. Ainda assim penso: O oriente vai sucumbir ao ocidente?


Sucumbir ou “sucundescer”?


“Sucundescer”???Me dê a definição Aureliana da palavra, PLEASE!


Ok, não vamos entrar nesse mérito. Já que o querido Aurélio nos falta.
Pero, no creo que China vai prevalecer eternamente. Todavia vamos mudar de política. Se estivesse no governo brasileiro, se corromperia?
És a favor dos “cu rompidos”?


Se eu estivesse no governo seria uma DITADORA. Isso é se corromper?


Se obrigasse seus “soldados” a ganhar um agradinho para si, talvez sim. (rs)
Enfim, feliz dia do amigo???


HAHAHAHA...Posso sorrir?


Fique a vontade!
Você sabe a porcentagem de álcool tem no seu sangue?


Alta...Quantas Heinekens tomamos?


Acho que...algumas.
Quando bebemos os dedos disparam nos teclados de celulares, já reparou?
A conversa às vezes fica sem sentido.
Lembrei de um trecho de uma poesia minha: ...mas se ninguém mais faz sentindo.
A viagem continua amiga?


Quem faz a viagem não é o sentido e sim a falta de...Bebemoramos o dia do amigo, o reencontro e a vida. Nos falta o quê?


P.A.? (a isso se designa um código meio pôrno eu diria, "prefiro não comentar")

E a cerveja vira sobre o colo da amiga.
Ainda bem que sua roupa era escura.


E aí gata, vamos para o A.A.???


Nossa, minha mãe ia adorar!...O que falaremos no A.A.?
“Me chamo Tacila e bebo um pouco de Heineken a mais???”
HAHAHAHAHAHAHA
Na web é bem mais fácil rir...Isso foi o P.S.

+ 24 horas...bebendo.



Joy Mafaro e Tacila Muniz, dia 20 de julho de 2011